Araratah: PF aponta 'fortes indícios' de corrupção ativa do prefeito de Sinop

diminuiaumenta




24/06/2014  Fonte: Só

Notícias/Editoria


O delegado da Polícia Federal, Wilson Rodrigues da Silva Filho, que



também conduz investigações na Operação Ararath, apontou em relatório,



elaborado em março passado, que há fortes indícios para que o prefeito de



Sinop, Juarez Costa (PMDB), seja indiciado por corrupção ativa, após a denúncia



do empresário Junior Mendonça, que afirmou ter feito empréstimo de R$ 500 mil



para que o prefeito sinopense comprasse uma sentença, do então presidente do



TRE, Evandro Stabile, e não fosse cassado. Para o delegado, "os elementos



de informação trazidos a tona são fortemente indiciários" dos crimes de



corrupção ativa para Juarez e o governador Silval Barbosa, e de corrupção



passiva para Stabile".









Ainda no relatório, que Só Notícias teve acesso, o



delegado Wilson Rodrigues da Silva Filho, aponta: "há ainda, no que tange



a forma de pagamento, por intermédio de Gercio Junior, conforme narrado,



indícios de lavagem de dinheiro".   O relatório do delegado está



no inquérito da Operação Ararath. Como a investigação ainda está em andamento,



não foi confirmado se Juarez foi indiciado.









O empresário Gersio Junior, conhecido como Junior Mendonça, que operava



empréstimos fraudulentos -juntamente com o ex-secretário Eder Moraes (que



continua preso)- e eram pagos com recursos públicos, disse para a Polícia



Federal, em depoimento, que foi procurado, em 2009, pelo membro do TRE, Eduardo



Jacob, "orientado pelo governador Silval Barbosa" para levantar a



quantia emprestada de R$ 500 mil para pagamento de propina para Evandro



Stabile" com objetivo de "resolver o problema da cassação de



Juarez". Consta no inquérito que Stabile recebeu ação cautelar onde Juarez



recorria da cassação, em 30 de junho de 2009, às 17:52hs e às 17:58hs foi



encaminhada decisão (liminar) à secretaria judiciária do TRE, despachada por



Stabile, para que o prefeito sinopense continuasse no cargo.









Junior também apontou, em depoimento, que Juarez "estava com medo



de trazer elevada quantia de Sinop", tendo feito o empréstimo a Eduardo



Jacob e recebido cheque como grantia. "O empréstimo teria sido pago também



em espécie, por este, tendo resgatado título de crédito como garantia".









Junior Mendonça também revelou para a PF diversas operações de créditos



ilegais acusando Eder Moraes de agir em nome do ex-governador Blairo Maggi e do



atual, Silval Barbosa. Em documentos apreendidos na casa de Eder, a federal



descobriu que parte do dinheiro foi para políticos, algumas empresas, alguns



órgãos de imprensa e pagamento de despesas diversas.









Outro lado




Procurado por Só Notícias, o advogado Alexandre Gonçalves Pereira, disse



que o prefeito Juarez Costa "não foi notificado de nada até agora. Assim



que formos notificados, vamos prestar devidos esclarecimentos", informou.



O prefeito ainda não se manifestou sobre as acusações desde que foram reveladas



as acusações feitas por Mendonça.









Em declaração anterior,



Evandro Stabile negou as acusações feitas por Junior Mendonça. O desembargador



está afastado das funções no judiciário desde a Operação Asafe, feita pela



Polícia Federal, em 2010.























Fonte:

Data: 24/06/2014