Cláudia: Servidores do Ciretran não aderem à paralisação estadual

diminuiaumenta

O órgão deve atender normalmente das 8 às 16h, não aderindo ao movimento no estado. Em sua maioria, os servidores do Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Sinetran/MT) paralisam as atividades nesta quarta-feira (16), em protesto contra emenda feita por deputados em lei que propõe a redução de cargos comissionados na instituição.

A presidente do SinetranMT, Veneranda Acosta, explica que a lei foi aprovada na Assembleia Legislativa no dia 12 de março, entretanto, 3 deputados entraram com pedido de emenda dias depois, alterando o teor do documento, que prevê melhorias administrativas e estruturais ao órgão.

A emenda mantém os cargos atuais do órgão, o que a categoria rebate, além de impedir a criação da Escola Pública de Trânsito. Conforme a presidente, a emenda acrescentada depois da aprovação ainda prevê que servidores comissionados permaneçam em cargos técnicos, no que a categoria sempre foi contra. “A emenda dificulta a publicação do Regimento Interno e do Manuel de Procedimentos que aguardamos há anos”.

“O projeto ficou mais de 40 dias na Assembleia aguardando para ser votado, tiveram tempo para promover as mudanças, e não depois que a lei foi aprovada”, acrescenta a presidente. De acordo com Acosta, há indícios de fraude no processo legislativo, e uso de benefício próprio. A presidente diz ainda que aguarda posicionamento do governo estadual sobre a situação, já que a lei foi aprovada.

Em outubro do ano passado, a categoria deflagrou greve por quase 1 mês, em que pediam a redução de cargos comissionados, reestruturação organizacional, além de repasses de recursos emergenciais para dar melhores condições de trabalho aos servidores que atuam na sede e nas Ciretrans. Todos os serviços devem ser interrompidos nesta quarta-feira (16), durante a paralisação da categoria.


Fonte: Diário Nortão e Gazeta Digital

Data: 16/04/2014