F1: pilotos ameaçam greve antes do GP da China

diminuiaumenta

Alguns pilotos de Fórmula 1 ameaçam fazer greve caso não forem quitadas as dívidas que as equipes têm com eles. De acordo com a publicação germânica Sport Bild – nesta semana -, Nico Hülkenberg, Romain Grosjean, Adrian Sutil e Kamui Kobayashi estariam com salários atrasados.

“As equipes estão conscientes da situação”, disse Hülkenberg. “Um piloto pode facilmente ser substituído. Mas os atrasos não acontecem sem uma razão. Apenas não há dinheiro. Esse esporte é demasiado caro”. O alemão, todavia, recusou entrar em outros detalhes sobre a reunião da associação de pilotos sobre o assunto.

Outro piloto que tem salários atrasados, desde o ano passado, é o finlandês Kimi Räikkönen. Ele não recebeu os valores totais referente ao seu contrato com a equipe Lotus. Kimi, atualmente titular da Ferrari, busca outra forma de negociação para receber o que tem direito.

Na etapa do Bahrein, há quase duas semanas, o empresário de Räikkönen foi visto em conversa com um dos dirigentes da Lotus e os rumores sugerem que estaria negociando os pagamentos atrasados.

A ameaça de greve dos pilotos acontece restando poucos dias para o Grande Prêmio da China, em Xangai, quarta etapa da temporada 2014 de F1. A prova não correria riscos já que todas as equipes têm pilotos reservas que poderiam assumir os cockpits nesse tipo de situação. 


Fonte: Uol

Data: 16/04/2014